Terça, 23 Fevereiro 2021 16:24

Paradigmas da Transformação Digital Destaque

Escrito por Carlos Franchi
Avalie este item
(0 votos)

Transformação Digital e a necessidade de quebrar paradigmas

 

A transformação digital tem sido sempre colocada como o motor que acelera a uma velocidade sem precedentes as mudanças em nossas organizações estruturadas sob os tijolos e cimento de modelos de operação da década de 90 ou antes. Entretanto transformação digital não é simplesmente mudarmos de nível de automação, implantar Internet das Coisas, Big Data e/ou Inteligência Artificial.

A transformação digital é de fato uma forte quebra de diversos paradigmas, a saber:

  • Social – Nossas relações com pessoas e grupos mudaram definitivamente com as mídias sociais, acelerando exponencialmente as interações, mesmo, segundo alguns pesquisadores, reduzindo a qualidade destas. Chegamos ao ponto de não mais falar ao telefone com outra pessoa e sim passar uma mensagem de voz. As mensagens são difundidas e participadas à velocidade da luz, com impacto praticamente imediato em pessoas participantes destas e separadas por milhares de quilômetros. Das cartas para o e-mail e do e-mail para as mídias sociais não esperamos mais de 20 anos. E smartphones estão presentes em número maior que o de habitantes do planeta.
  • Comunicação – 90% da comunicação mundial é hoje digital. A eficácia da mensagem pode ser mensurada em poucas horas em grupos gigantescos de receptores, que podem chegar a milhões. Notem que esta eficácia é para o bem ou para o mal. A difusão e participação das massas em campanhas, por exemplo de marketing, é pela primeira vez simultânea. A boca a boca acelerou-se de forma exponencial.
  • Economia e Mercado – As bolsas de valores no mundo todo estão conectadas, os investidores, utilizando-se de ferramentas de inteligência artificial podem deslocar bilhões em segundos de um país para outro. As transações financeiras são hoje 80% digitais. As campanhas de marketing utilizam-se da agressividade das mídias sociais para conhecer individualmente cada consumidor e chegar ao sonho definitivo de individualizar uma campanha, entendendo a experiência de cada consumidor com seus produtos ou serviços. O e-commerce já é a principal forma de comércio no mundo. Modelos de financiamento desde os de baixa renda em países em desenvolvimento até os de crownd-funding aceleram suas presenças. O bitcoin, volta e meia, ameaça as transações tradicionais com dinheiro.
  • Espaço – A telepresença, as mídias sociais, as realidades virtuais, eliminam a noção de distância entre lugares influenciando o mundo e tornando-o mais padronizado. Culturas isoladas e distantes pela geografia estão agora mais próximos que nunca dos grandes centros ditatoriais de cultura e comportamento. O isolamento físico está prestes a não existir mais.
  • Psicologia – Quem sou eu, quem somos nós, estas questões ficaram muito mais difíceis de serem respondidas. As mídias sociais vendem em selfies a alegria e felicidade de todos. Entretanto novas doenças surgem, bipolaridades digitais onde nas mídias sociais sou um e na realidade sou outro. Quem sou eu? Quem é você e porque estamos aqui? Cada vez mais em voga o yoga, a ajuda de terapeutas para uma população que não desgruda da tela do celular, que não fala mais olhando nos olhos e que pretende conversar com uma pessoa presencial e dez a distância, tudo ao mesmo tempo! Que seria o normal?
  • Educação – Professores que se valiam de uma excelente presença na sala, carisma, conversa individual no cafezinho com cada aluno, o brincalhão, o comunicador não estão tendo mais vez em salas de aula virtuais e sofrem com a mudança, mas esta é irreversível. O conhecimento está em todo o lugar na internet, qualificá-lo e categorizá-lo é o desafio da educação. A inteligência artificial está substituindo os professores de matérias de ciclo básico. Um curso todo de programação de front-end Web ou de métodos ágeis de gestão é dado on-line. Os grupos pularam de 30 para 100, 200.
  • Empregos e Profissões – Quais serão as profissões que existirão em 10 anos e quais serão extintas. As escolas estão formando o profissional do futuro, tua empresa está formando o profissional que garanta o futuro dela?

Portanto transformação digital não é apenas realizar projetos de Indústria 4 ou 5.0 com o foco na evolução tecnológica. Antes de mais nada é entender o contexto de sua empresa e o que quebras de paradigma mais o afetam na situação atual para planejar as diversas iterações de mudanças e realizá-las agilmente, estando preparado para mudar sempre o rumo, com novas variações de contexto que virão. A gestão de mudanças, antes uma disciplina estática, hoje será uma disciplina dinâmica e do dia a dia de sua empresa.

Ler 203 vezes Última modificação em Quinta, 18 Março 2021 03:19

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

f4m change together banner V2