Sexta, 30 Abril 2021 18:05

Gestão em ambientes complexos, muito simples se entendermos as pessoas Destaque

Escrito por Carlos Franchi
Avalie este item
(0 votos)

Colaboração, diversidade, adaptabilidade, inovação e efetividade de ações

 Nos últimos meses, tenho usado para todos meus novos amigos na rede a mesma mensagem!

" Obrigado por aceitar meu convite para trilhar este desafiador caminho de transformação das pessoas, empresas e sociedade com base em colaboração, diversidade, adaptabilidade, inovação e efetividade de ações".

Mais que um simples agradecimento, estas palavras têm sido a base, o DNA da minha missão de liderança em projetos nos últimos anos, o meu propósito. Aí está minha crença, de que somente buscando incansavelmente seguidores com esta visão, poderemos navegar com simplicidade num ambiente cada vez mais complexo e tornar esta nossa terrinha mais sustentável e humana! Vejamos um a um estas palavras para que todos entendam o porquê desta missão tão desafiadora e abrangente!

COLABORAÇÃO - O coletivo sempre pensa e age melhor que o indivíduo. Nossa evolução como espécie (e nosso domínio!) vem essencialmente de nossa capacidade de colaboração. E isto não é de agora, mas sim presente em todos os tempos. No tempo atual, a transformação digital nos levou a quebrar muitos paradigmas (social, econômico, político, cultural, dentre outras dimensões) e acelerou de forma exponencial as mudanças, reduzindo-se drasticamente os ciclos de comunicação, de informação, de relacionamento, de educação, de conhecimento, de produtos, serviços e, claro, de poder. Não há como enfrentar este stress de mudar sempre enfrentando novos contextos e novas incertezas sem participar, sem colaborar, sem pensar um no outro, sem ser empático, sem se engajar, otimizando e potencializando o trabalho de equipe. E há a boa simbiose entre gente da operação e de projetos. Não há a necessidade de se reforçar o que é moral e o que é ético, o que se deve fazer ou não, cultura de comando e controle é substituída por indicadores de performance com metas objetivas, com base em resultados esperados, simples por iteração, mensuráveis, alcançáveis e realizáveis no tempo. O objetivo comum passa a ser o novo normal. O engajamento sob um mesmo propósito natural de evolução. A colaboração deve ser a praxe em casa, nas empresas, no setor privado, no setor público, nas comunidades, nas cidades, na sociedade em geral. Se a luz brilhar no outro, não nos preocupemos, o sol é o mesmo para todos.

DIVERSIDADE - Cada indivíduo é considerado em sua plenitude como um ser de potencial de ideação e realização ilimitados, independentemente de seu gênero, raça, cultura, religião, idade, conhecimento, formação, ideais, origem, posição social, departamento entre outras características que o distinguem como ser humano! O plural de ideias e vivências torna potencialmente provável a solução de qualquer problema ou a transformação de um problema numa oportunidade de evolução. Não às caixas fechadas de sugestão e sim às vozes abertas que finalizam cada iteração de nossa evolução.

ADAPTABILIDADE - Colaboração e respeito à diversidade garantem saídas para situações em que mudanças contextuais, nos forcem, com cada vez mais frequência, a testar novas hipóteses, a perder constantemente nossa zona de conforto, a conviver com a insegurança, com a aparente incompletude, a buscar novas soluções, que podem ser desde uma nova forma de abordagem, passando por novos processos, produtos ou serviços e indo até uma nova forma de pensar, numa exponencial para a criação e inovação. E aí está a essência do método que insisto em chamar de adaptativo e não ágil. Adaptar significa reagir rapidamente a uma nova e inesperada circunstância, testar novas hipóteses de solução e continuar o caminho de evolução. Sob o ponto de vista, enquanto sociedade, cito o contexto COVID. Adaptar significa aproveitar o ponto de virada de um contexto e evoluir!

INOVAÇÃO - Antes inovar era algo que se media unitariamente em cada 5, 10 anos ou maior, numa escala evolutiva linear e previsível. Hoje passa a fazer parte, quase do dia a dia e reside no centro nevrálgico de pessoas, empresas e sociedade. É a fonte de novos produtos, serviços, ideias, ideais e comportamentos. Não há como dar saltos quânticos de evolução de pessoas, de empresas, da educação, saúde, economia sem ter a dimensão da Inovação também em nosso DNA. Inovação incomoda ao status quo. O ambiente em empresas e sociedade deve ser favorável para a ideação e realização de novas e inesperadas soluções. Olhar o futuro com a ótica da inteligência, artificial ou não, é o mote. O passado nada mais significa do que experiência. O conhecimento deve alavancar o aqui, agora, e o futuro. Ousar!

EFETIVIDADE - É consistência em dados e informações. Nenhum projeto, nenhum empreendimento, seja ele pessoal, de empresas, social ou o que o valha sobrevive sem ser eficaz, sem atender o objetivo esperado, medindo resultados. Ao famoso "O projeto está no prazo e no custo?" adiciona-se " A iteração X, Y, ou Z atingiu o objetivo esperado pela empresa ou instituição e quanto deste objetivo ela atingiu?". A medição deve privilegiar poucos indicadores retirados do caso de negócio, os de maior impacto no objetivo do projeto, do sprint ou da iteração. Todo o monitoramento e controle deve focar na realização dos objetivos esperados. De nada adianta continuar um projeto no prazo e dentro dos custos esperados caso o objetivo do empreendimento esperado pelas pessoas, empresas ou pela sociedade não seja atingido. A falta de efetividade, se não percebida, se não contornada, pode anular, por exemplo, todo o esforço de colaboração e inovação, frustrando equipes, frustrando empresas, comunidades, até mesmo a sociedade engajada. Lembrar que a falta de consistência pode gerar conflitos e destruir o esforço de convergência de objetivos de uma equipe, podendo até levar a conflitos. Contra fatos não há argumentos.

Ambientes complexos clamam por gestão simples. Descomplicar a gestão envolve uma mudança de nosso modelo mental, orientado pela estruturação de conhecimento construído em uma escola de tijolo e cimento (numa visão ainda de comando e controle), para um modelo não estruturado e mutante. Esta não estruturação é necessária para se enfrentar a complexa realidade de um mundo cujos eventos ocorrem numa matriz multidimensional de pessoas, processos, sistemas, infraestrutura, tecnologia, mercado, economia, cultura, cujas variáveis de cada dimensão interagem dentro de uma mesma dimensão ou com as outras, gerando numa velocidade digital novos contextos para serem por nossa mente deglutidos. Fica mais simples evoluir, quando entendemos as pessoas e que elas, de fato, são os atores por trás da maior parte de todas estas complexas interações. Nenhuma ferramenta ou método de ouro substituirá a importância do ser e continuar humano.

Ler 97 vezes Última modificação em Sexta, 30 Abril 2021 18:19

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

f4m change together banner V2